"A história antiga do sobrenome “Guarnieri”


O nome da família Italiana “Guarnieri” é classificado como sendo de origem patronímica, isto é, baseou-se no nome pessoal do pai ou no de outro ancestral de seu portador original. Neste caso, o sobrenome “Guarnieri”, forma plural de “Guarniero” e, originalmente, referindo-se a um filho ou descendente de alguém chamado “Guarniero”.
O nome pessoal “Guarniero” deriva do nome “Guarnierio” ( documentado no século X nas formas latinas “Guarnierius e Warnerus” ) que foi adaptado para o Italiano do antigo nome pessoal germânico “Warinhari” formado dos elementos “ Warin”, que tem como significado “ Proteger” e “Haria” que significa “ exército” .
O sobrenome teve variações , devido as mudanças da língua , como: “Guarniero”, “Guarnier”, “Guarneri”, “Guarnerio”, “Vanieri”, e outros. Estas variações são decorrentes também da mudança nos dialetos das regiões, no decorrer do tempo.
Referências a este sobrenome incluem uma família portadora do nome de família “Guarnieri”, cujo assentamento ancestral se situava em Adria, Vêneto . Uma família diferente, portando o mesmo sobrenome, originou-se em Pisa, e foram agraciados com um escudo de armas. Desta família descendia Giambattista, que foi prior em 1554 e seu filho Giovanni, também veio a ser prior em 1570 e em 1584. Outra família do sobrenome “Guarnieri” estabeleceu-se em Rovigo, e um de seus ramos de estabeleceu em Verona.
Entretanto, pesquisa em curso poderão encontrar este sobrenome já documentado em data anterior as indicadas acima. Um notável portador deste sobrenome é o violinista italiano do século XIX, Francesco Guarnieri, também lembrado como Francesco de Guarnieri. Este sobrenome foi introduzido nos EUA, por, entre outros, Ângelo Rafaelle Guarnieri que chegou a New York, a bordo do navio “Caschemire” em 1886.
Foram encontrados registros de que a família possui seis Brasões, um deles é de vermelho, três leões de ouro postos dois e um. Pode ser traduzido como: vermelho, que significa magnanimidade e fortaleza militar, os leões simbolizam força e coragem, timbre, e uma águia estendida de negro , coroada de ouro, a origem do mesmo é Italiana . O outro Brasão que tem-se referência , traz consigo a seguinte história: “O sobrenome Italiano Guarnieri constitui-se em variação regional de Guarneri , que por sua vez deriva do nome germânico “Warinhari”, formado por radicais que significam protetor e exército, latinizado como Warnerius ou Guarnerius(Mioranza). Uma família assim denominada floreceu em Adria, na região do Vêneto, onde foi agregada ao Conselho Nobre e listada entre as linhagens nobres aprovadas pelo senado Vêneto. Obteve a confirmação de sua nobreza através da Soberana Resolução de 28 de outubro de 1823. Portaram o presente Brasão de Armas”.
Fonte: The Storical Researsh Center e Heráldica Pelotense
Em outros acervos encontrou-se um pouco mais de história do sobrenome, conforme segue: Os Lombardos e os Franquia, conquistando território, abandonaram sua língua nativa e aceitaram a língua da civilização “latin”, era a mais elevada com que veio no contato na Itália.
Retiveram para cem dos anos os nomes que de Teutonic, que trouxeram ao território e ocuparam e sucederam os povos sobre quem governaram. Tão tarde quanto 1266 a maioria dos nomes em Milão era do tipo Germânico. Na Itália central e norte os sobrenomes que começaram a se tornar fixos nas idades médias refletem as tradições germânicas.
A região da Toscana no norte ocidental da costa de Roma, foi chamada originalmente de Etruria. Os Etruscos deixaram muitos traços de sua cultura, é desta região antiga e cultural muito importante que o sobrenome Guarnieri foi encontrado primeiramente.
Depois que Charlemagne assentou-se no Reino da Itália, a região tornou-se conhecida como Toscana , tendo como localização ao Norte a cidade de Viterbo e Bolsena que foram mais tarde incorporadas em seu território. A Toscana era considerada uma província de importância estratégica.
A pesquisa do sobrenome Guarnieri produziu a evidência de suas origens que aparecem na Toscana , uma divisão territorial da Itália, a mesma possuí nove províncias. Os registros foram encontrados nas Universidades de Florença , Pisa e Siena.
Nesta época encontra-se registros somente de pessoas com poder aquisitivo maior, como: oficiais da cidade, oficiais do exército, artistas, latifundiários, e existia uma distinção grande na época em relação ao registro de ancestrais nobres e outros.
Na Toscana encontra-se registros do sobrenome “Guarnerio” no século X, e como: “Guarnerius” ou “Warnerus” em 1363.
A família ramificou-se e adquiriu terras e propriedades em Adria (Vêneto) , em Pisa , Rovigo e Verona.
O nome da família adquiriu também outros interesses, como filiais desta família ao Sul, onde buscavam melhores condições de vida, outros perseguiam a religião, a política ou na aquisição de propriedades melhores.
A Toscana sofreu muitos impactos sob o comando dos Franceses, tornando-se até parte do Império Francês em 1808 ficando nestas disputas até aproximadamente 1861. A Toscana foi dividida em três áreas. Neste período da história o nome da família encontrava-se no meio de pessoas distintas e notáveis.
Muitos italianos nesta época começaram a pensar no “Mundo Novo”, inclusive os “Guarnieri” ou da mesma linhagem, muitos encontram-se gravados nos registros do fim do século XIX, século de grande migração italiana .
Os imigrantes principalmente foram para Nova York , Nova Jersey, Pensilvânia e Brasil . A migração continuou no século XX.
Hoje muitos italianos, inclusive os com o sobrenome “Guarnieri” enriquecem a cultura, e a economia do mundo inteiro.

 

 

Contribuição da família “Guarnieri” para a cultura Mundial

 


O violino (de “
Guarnerius” ) ou como é conhecido o violino (de Stradivarius ), ou assim alguns dizem que o Guarnerius é o mais preservado de todos os violinos.

O violino emergiu na Itália em 1500, e parece ter evoluído de dois instrumentos curvados medievais.
Os fabricantes importantes do violino eram do norte que datam (1540-1609) e Giovanni Maggini de Gasparo (1579-c. 1630) de Bríxia e Andrea Amati (1520-c. 1611) de Cremona.
O ofício de fazer violinos alcançou alturas artísticas impressionantes nos séculos XVII e XVIII nas oficinas dos italianos Antonio Stradivari e Giuseppe Guarneri , ambos de Cremona.
Guarneri (no latin “Guarnerius”) , em nome de Giuseppe Antonio Guarneri, foi considerado como o segundo melhor fabricante italiano, ficando atrás do grande Antonio Stradivari.
Os principais membros da família, de Cremona , Itália , são os seguintes.
Andrea Guarneri : (1626- 1698) Violino –violin-making, instruído na oficina de Cremona, do fabricante notável Niccolo Amati.
Pietro Giovanni Guarneri :(1655-1728) Filho de Andrea, estabelecido em Mantova é conhecido como Peter de Mantova e seus instrumentos são considerados particularmente os melhores.
Giuseppe Giovanni Battista Guarneri:(1666-1739), filho mais novo de Andrea. Ambos fizeram um número de mudanças técnicas que tiveram influencias.
Pietro Guarneri:(1695-1765), filho de Giuseppe , conhecido como Peter de Veneza, utilizou algumas características da escola violino-violin-making venetian.
Giuseppe Antonio Guarneri :(1687-1745), Giuseppe o outro filho, teve seu apelido como, Giuseppe Del Gesu (Giuseppe de Jesus) do “monogram sacred” - IHS (o começo da palavra grega para Jesus), que colocou após seu nome em suas etiquetas. Seus violinos são anotados para seu tom rico e foram preservados como o virtuoso italiano Nicolo Paganini.
Quando o Amati e o Stradivari se estabeleceram em Cremona,
o Guarneri estabeleceu filiais em Mantova e em Veneza. Os violinos de Guarneri seguiram os testes padrões e as tradições do Amatis até a época de Giuseppe Del Gesu, visto que o Stadivaris evoluiu mais em suas linhas, Andrea Guarneri, (c. carregado 1626, dec.7th morrido 1698 ) , era um aprendiz do companheiro de Antonio Stradivari na oficina de Amati.
Seus filhos
Pietro Giovanni Guarneri (sabido como Peter de Mantova), (carregado nov. 2o ,1666, c.1740 morrido), continuou as tradições do seu pai com variações menores.
Na terceira geração, Pietro Guarneri (Peter de Veneza), (carregado abril 1o 1695, morrido abril 7o , 1762) , criou aspectos incorporados dos instrumentos venezianos no seus próprios, e seu irmão
Giuseppe Guarneri, (carregado agosto 21, 1698, morrido outubro 17o , 1744), transformou-se o fabricante mais requintado e fino da linha de Amati. Giuseppe é sabido como " Del Gesu " por causa das iniciais I. H. e de uma cruz inscritos em seus violinos.
A tradição da família, era desenvolver instrumentos excepcionalmente com identidade própria, outro propósito era o cuidado com a qualidade principalmente àquelas de Stradivari.
Giuseppe Del Gesu e Peter de Veneza podem ter sido primos, sua relação era melhor que irmãos, e Peter de Veneza pode ter sido o filho de Peter de Mantova.
Um dos violinos de Del Gesu foi colocado por Niccolo Paganini e é ainda um indicador em Genova, na Itália.


Edivar Guarnieri 2019.